Notícias Recentes



SECRETÁRIO DE FINANÇAS APRESENTA BALANÇO FINANCEIRO DE 2017

O secretário de Finanças, Ewerton Clemente, conduziu audiência pública junto a Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara de Vereadores para apresentar o comportamento das contas do município durante o exercício financeiro de 2017. De acordo com os dados apresentados, a arrecadação da Prefeitura atingiu 99,12% da receita prevista pela administração anterior. Já o SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), superou as projeções em quase 14% ou mais de R$ 1 milhão, representando aumento na arrecadação de 20% graças a cobranças administrativas e judiciais.


Com relação a 2016, a arrecadação da Prefeitura cresceu 1,03% ou R$ 850 mil (já descontada a inflação). "Apesar da receita tributária ainda representar menos de um sexto da arrecadação total da Prefeitura, chamou atenção o comportamento do IPTU do exercício com a redução da inadimplência e do ISS sinalizando a recuperação do setor de serviços da economia rio-pedrense", explicou Clemente.


As transferências recebidas pela Prefeitura sofreram queda de quase 2%, com destaque para o FPM (Fundo de Participação dos Municípios) que caiu mais de 15% principalmente em razão da frustação de arrecadação com relação aos recursos da repatriação repassados em 2016.


Com relação aos gastos em 2017, a Prefeitura economizou mais de 4% ou R$ 3 milhões em comparação a 2016, embora as despesas com precatórios e saúde aumentado. O resultado foi obtido mesmo com a inclusão de despesas com a folha de pagamento de dezembro de 2016, que tiveram de ser empenhadas e pagas em 2017 consumindo parte considerável do orçamento e dos recursos financeiros. Durante o período, o município aplicou 22,78% da receita de impostos em saúde e 28,85% em ensino.


Por outro lado, o endividamento medido pelo resultado nominal, que inclui o pagamento de dívidas e representa a diferença entre a dívida de 2016 e 2017 (excluídos os passivos reconhecidos), apresentou crescimento de R$ 6,4 milhões, justificados pela inscrição de precatórios não pagos durante o exercício.


A expectativa do secretário de Finanças é de que o estoque de precatórios cresça por pelo menos dois anos. “Durante o exercício, a Prefeitura reconheceu mais de R$ 38 milhões em dívidas referentes a gestões anteriores que fizeram o endividamento de longo prazo alcançar quase R$ 60 milhões”, informou Ewerton Clemente.


Em termos de gestão fiscal, a despesa com pessoal atingiu 55,82% em razão dos registros correspondentes a 2016, apesar da folha de pagamento de 2017 ter sido reduzida em mais de 6% quando comparada ao mesmo período do exercício anterior. Por recomendação da Secretaria de Finanças, a Prefeitura reduziu sua folha de comissionados, funções gratificadas, suprimiu horas extras e sugeriu demais medidas necessárias para reconduzir o índice registrado.

Autoria: Alex Calmon
Fonte: SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL
Foto: Alex Calmon
Postada em : 28/02/2018