Notícias Recentes



PREFEITURA CONVOCA POPULAÇÃO A PARTICIPAR DA ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO PARA 2018

Com o propósito de aproximar a administração pública da população, a Secretaria de Finanças elaborou um calendário de reuniões para debater o orçamento municipal para 2018. Foram agendadas cinco reuniões plenárias e regionais que acontecerão sempre aos sábados, a partir das 9 horas.


O primeiro encontro será no dia 19 de agosto, na E.M. Prof.ª Claudete Aparecida Guidolim Nicolai, com a participação dos moradores dos bairros Bom Jardim, Bom Retiro, São Pedro e São Carlos.


No dia 26 de agosto, na E.M. Prof.ª Maria Aparecida Aguiar, reunindo os moradores dos bairros Vitório Cezarino (Sem Terra), Cambará, Dr. Jorge Coury, Dona Rosina, Luiz Massud Coury e Lúcia Taranto Marrano (Nosso Teto).


Dia 2 de setembro, na E.M. Ignez Brioschi Rubim, serão ouvidos os moradores dos bairros Santo Antonio, Alberto Zeppeline, Santa Tereza, Maria Antonieta e Bela Vista.


Dia 9 de setembro, na E.M. Prof. Augusto Elias Salles, participação os moradores dos bairros São Cristóvão I e II, Santa Maria I e II, Vila Kennedy, Codespaulo, José A. Montagnani e José C. Barrichello (CDHU).


Por fim, no dia 16 de setembro, na Câmara de Vereadores, se reunirão os moradores do Centro, Bom Jesus I, II e II, Pombal e zona rural.


“O objetivo da atual administração com essas reuniões regionais é contar com a participação de todos os cidadãos. É uma forma de você decidir o destino do orçamento municipal para o exercício de 2018. As pessoas terão a oportunidade de participar das decisões sobre onde e como utilizar o dinheiro arrecadado pela Prefeitura. Iremos discutir as prioridades para o ano que vem, analisar as propostas e implementá-las de acordo com as possibilidades financeiras”, explicou Ewerton Clemente, secretário de Finanças.


A proposta do Governo Municipal é que os moradores se organizem para discutir, indicar e fiscalizar as obras ou serviços mais importantes para os bairros e também para a cidade. A Prefeitura presta contas do dinheiro existente e, juntos, todos opinam onde é melhor que ele seja aplicado, de acordo com a disponibilidade financeira do Poder Público. As sugestões são coletadas durante reuniões, analisadas e incluídas na Lei Orçamentária Anual (LOA), que será encaminhada para apreciação dos vereadores.


“Pretendo acompanhar as discussões de debate do nosso orçamento participativo. Precisamos controlar recursos diante da dificuldade financeira que o município atravessa. Por conta disso, poderá ser comprometido o atendimento de algumas reivindicações. Mas manteremos sempre o canal aberto com a população. O orçamento participativo é um instrumento importante para governar com responsabilidade social e as propostas apresentadas serão fundamentais para guiar o trabalho do gestor público", concluiu o prefeito Carlos Defavari.

Autoria: Alex Calmon
Fonte: SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL
Foto: Andre Barrichello
Postada em : 07/08/2017

Voltar